Você foi embora Embora, talvez não volte Volte amanhã Amanhã de manhã acordo Acordo para esperar você chegar Chegar a noite, na cama Cama ainda vazia, fria Fria foi aquela despedida Despedida com você despida Despida até de calor Calor foi só alguns gemidos Gemidos difusos Difusos e confusos Confusos em braços e lençóis Lençóis que ontem Ontem enxugaram lágrimas Lágrimas se fez paixão Paixão agora é pouca razão Razão que não esfriou a saudade Saudade, melhor arrefecer Arrefecer, sim, porque fui abjeto Abjeto e objeto Objeto, eu sei o por quê Porque foi culpa daquela noite Noite longa, curta história História com final infeliz Infeliz? Não! Nem tanto... Tanto chorei, mas não foi o pior Pior foi acreditar Acreditar que no outro dia Dia sem adeus Adeus é palavra que dói Dói na despedida; isso não quero Quero despedir do adeus Adeus! Fique bem longe Longe daquela estrada Estrada que um dia distanciou Distanciou por longas noites Noites intensas de amor

Posts recentes

Ver tudo

COMPENSAÇÃO

Bestas são as feras Caras feias Venço na cautela Sou amigo do rei Migalhas na mesa Moedas contadas Amealhei a paz Sou amigo do rei Passos lentos Portas trancadas Fé desobstruída Sou amigo do rei O mar

ODE DOS AUSENTES

Dissabor Sem humor Sem fervor Sem calor Despertador Azedo Sem medo Sem quedo Sem tredo Arremedo Exclama Sem alma Sem calma Sem xalma Espalma Desgosto Sem mosto Sem posto Sem rosto Descomposto

ODE DOS AUSENTES

Dissabor Sem humor Sem fervor Sem calor Despertador Azedo Sem medo Sem quedo Sem tredo Arremedo Exclama Sem alma Sem calma Sem xalma Espalma Desgosto Sem mosto Sem posto Sem rosto Descomposto